quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Parlamento venezuelano quer impedir o governo de pressionar a imprensa


O parlamento venezuelano acusou hoje (4) o governo do presidente Nicolás Maduro de "ameaçar" duas estações de televisão e limitar o acesso dos jornais a papel para impressão. De acordo com parlamentares de oposição, a intenção é condicionar a liberdade de imprensa.

"Parece-nos que a Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) recebe ordens do presidente da República, que publicamente tem ameaçado a Televén e a Globovisión (estações de televisão) pela linha editorial que têm", denunciou o presidente da Comissão de Meios de Comunicação da Assembleia Nacional, Tomás Guanipa.

Segundo Guanipa, como parte dessas pressões, uma comissão da Conatel visitou, dia 1º de fevereiro, o canal privado de notícias Globovisión, à procura de informações sobre assuntos de rotina de trabalho do canal.
Tomás Guanipa adiantou que o parlamento apresentará, nas próximas duas semanas, uma proposta prioritária para reformar as atuais leis de Telecomunicações e de Responsabilidade em Rádio e Televisão, popularmente conhecida como "Lei Mordaça".

"(O parlamento) lutará para que os meios de comunicação possam ser livres e para que nenhum governo possa ter o controlo da informação (...) A liberdade passa pelo acesso que o venezuelano comum possa ter à informação objetiva, de distintas visões de um mesmo problema e que seja ele quem fixe posição e não o que um governo quer impor através do amedrontamento, de um mecanismo ou de uma determina linha", disse o presidente da comissão da assembleia.

Representantes do parlamento venezuelano, de maioria oposicionista, solicitou aos principais canais de televisão e rádios do país que informem em que situação estão quanto a renovações de licenças de emissão, "visitas e atuações intempestivas" de funcionários da Conatel.

Segundo Tomás Guanipa, o parlamento criou uma comissão para ouvir Hugo Cabezas, presidente do Complexo Editorial Alfredo Maneiro, criado pelo regime para distribuir papel aos jornais e que é acusado de monopolizar e limitar a venda do produto.

A Câmara de Jornais da Venezuela já se queixou de que 86 jornais estão em perigo de extinção por causa da falta de papel.

A imprensa venezuelana acusa Hugo Cabezas de ter ordenado aos jornais que reduzam 60% da tiragem, porque houve um "plano de poupança e um novo cronograma de distribuição de papel".

Desde 2003 vigora na Venezuela um sistema de controle cambial que impede a livre obtenção local de moeda estrangeira no país, o que dificulta as importações de papel e obriga os editores a procurar o complexo editorial para se abastecer de papel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua visita foi muito importante. Faça um comentário que terei prazaer em responde-lo!

Abração

Dag Vulpi

Seja Bem-Vindo

Sobre o Blog

Este é um blog de ideias e notícias. Mas também de literatura, música, humor, boas histórias, bons personagens, boa comida e alguma memória. Este e um canal democrático e apartidário. Não se fundamenta em viés políticos, sejam direcionados para a Esquerda, Centro ou Direita.

Os conteúdos dos textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores, e nem sempre traduzem com fidelidade a forma como o autor do blog interpreta aquele tema.

Dag Vulpi

Paulo Freire

Paulo Freire
Para analisar

BLOG MIN

BLOG MIN
Porque todos temos uma opinião, seja construtiva, destrutiva, cientifica, acéfala, perversa, parva, demolidora ou simplesmente uma opinião...

Mensagem do Autor

Ocorreu um erro neste gadget

Seguir No Facebook