terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Economia chinesa registra em 2015 o ritmo mais lento dos últimos 25 anos


A economia chinesa, a segunda maior do mundo, cresceu 6,9% em 2015, o ritmo mais lento dos últimos 25 anos, anunciou hoje o Gabinete Nacional de Estatísticas da China.

O governo chinês confirmou a desaceleração da economia, de acordo com o esperado pelos analistas, mas dentro da meta fixada - "cerca de 7%".

Ao longo de 2015, a economia do país asiático continuou a desacelerar progressivamente, ao crescer 7%, no primeiro e segundo trimestres, 6,9% no terceiro e 6,8% no quarto.

A taxa registada no último trimestre do ano é a mais baixa desde o pico da crise financeira internacional, em 2008.

"A economia cresceu a um ritmo moderado, mas estável e sólido", afirma, em nota, o Gabinete Nacional de Estatísticas.

O Produto Interno Bruto (PIB) aumentou no ano passado para 67,67 bilhões de yuan, a moeda chinesa (9,48 bilhões de euros).

O setor de serviços representou pela primeira vez mais de metade do PIB chinês, à frente da indústria e agricultura.

A produção industrial, que mede o rendimento das fábricas e minas no país, subiu 5,9% em dezembro, em relação ao mesmo período do ano anterior, informou o Gabinete chinês

As vendas no varejo, índice-chave para medir os níveis de consumo, aumentaram 11,1% no mesmo período. O investimento em ativos fixos, que calcula as despesas do governo com infraestrutura, cresceu 10% em 2015, comparado ao ano anterior.

Segunda maior economia do mundo, superada apenas pelos Estados Unidos, a China tem sido o motor da recuperação global desde a crise financeira de 2008.


19 comentários:

  1. Estagnação! Temporária ou trará o fim do sistema capitalista mundial?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queda de valor do preço do petróleo .

      Excluir
    2. Desconfiança do investidor extrangeiro frente a suposta possibilidade de maquiagem dos dados economicos

      Excluir
    3. Pode ser o início ou a oportunidade! rs

      Excluir
    4. o fim do sistema capitalista só se dará com a chegada do apocalipse . rsss

      Excluir
    5. Eita, Diogo Alves Pires, mas se assim fosse, já teria acabado no Brasil, pois as notícias são pra deixar o apocalipse no chinelo!!! Mas, do jeito que ele caminha desenfreado, monopolista, dependente, penso que não seja muito difícil, ou pela estagnação real e geral ou pela luta de classes diante do caos.

      Excluir
    6. O que precisamos é de um capitalismo mais dinâmico, de mais facilidades aos acessos as suas ferramentas para que assim a economia progrida num fluxo melhor.

      Excluir
    7. Se levarmos em consideração que hoje o 1% dos mais ricos detém mais riqueza que os outros 99%, veremos que não se trata apenas de um a questão de "fluxos". Em seu nascedouro, o liberalismo econômico é altruísta, defende a liberdade, defende essa "limpeza" dos fluxos; mas já na adolescência precisa garantir a reprodução do capital acumulado na fase concorrencial, suprimindo exatamente a liberdade de concorrência para que o estabelecimento de novos concorrentes não diminua as margens de lucro; da idade adulta para a frente o capitalismo é só superexploração - da natureza e do homem -, monopólios e oligopólios, cartéis e dominação do Estado reduzido a um ente zumbi que age sob sua tutela. Na esfera cultural, tudo isto se converte em individualismo, imediatismo, consumismo e hedonismo, raízes da loucura e da violência!

      Excluir
  2. Pois é, acabei de ver na TV outra reportagem sobre isso. Acredito também que seja passageira, voltará a crescer, mas não como já vimos.

    ResponderExcluir
  3. Aliás, França já botou sua enorme máquina de recursos para funcionar. É isso que gostaria de ver por aqui; soluções, propostas, ideias que não sejam apenas a de criar novos impostos!!! Precisamos nos mexer, essa estagnação me deixa irritada e nervosa. Será que NINGUÉM tem uma ideia boa???

    ResponderExcluir
  4. O sistema chinês é um dos mais desumanos e mais propícios ao capitalismo do mundo... um Estado absolutista que mata e esfola quem ousar se interpor entre o lucro e a superexploração - do homem e do meio ambiente. É lógico que os chineses não esperavam adotar o capitalismo sem ser adotado por ele.

    ResponderExcluir
  5. Verdade!!! Minha mãe costuma dizer que são cruéis, ela tem muitos amigos que saíram correndo da China e nunca mais voltaram.

    ResponderExcluir
  6. Só uma coisa esse ritmo é na contrapartida dos demais paises...

    ResponderExcluir
  7. A monstruosa quebradeira internacional de 2008 e a desaceleração das economias sul americanas e o aumento do dolar enfraquecendo as compras podem explicar em parte o pequeno desaquecimento chinês

    ResponderExcluir
  8. O mais incrível é que todos sempre consideram maniqueisticamente o crescimento econômico o bom e saudável e o desaquecimento econômico o apocalíptico. Lembremos que a atividade econômica não gera apenas o conforto, produz também a exploração do homem e do meio ambiente... às vezes uma camiseta desbotada diminui a atividade econômica na mesma medida em que não tinge um rio com a nossa cor predileta. É bom aprendermos a pensar por essa nova ética...

    ResponderExcluir
  9. Sobre o crescimento chinês há uma dúvida razoável. Tanto sobre a qualidade desse crescimento quanto sobre os números em si. O índice de Gini, que mede a desigualde, da China e do Brasil estão muito próximos. E a quantidade de créditos podres dos bancos chineses é enorme. Na antiga URSS, as metas econômicas eram sistematicamente falseadas e ou distorcidas, já que descumprir a meta era motivo para ir para o Gulag. Essa cultura esteve presente em todos países socialistas e também na China. Hoje se sabe que o Grande Salto para Frente, de Mao, foi um grande salto para trás. As comunas fundiam tudo o que fosse de metal, inclusive utensilios agrícolas, para produzirem aço nos alto fornos domésticos. Ficavam sem instrumentos de trabalho e com um aço imprestável.Mas cumpriam a meta. Ou fingiam que cumpriam. Quando Deng finalmente prevaleceu, as decisões econômicas passaram a ser mais técnicas, mas o viès autoritário e político não se extinguiu por completo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que precisamos de uma coisa nova, essas que vimos e vemos, não está dando certo. Mudar tudo vai levar mais 2015 anos.

      Excluir
    2. Nós vimos no século passado o fracasso das experi\encias ditas socialistas. E estamos vendo, nesse século, os problemas do capitalismo. Como eu não acredito no fim da história, penso que a humanidade pode encontrar um sistema mais justo que esse atual. Preservando as conquistas democráticas. Como liberdade de expressão e de organização. O cidadão está se afirmando frente ao Estado onipotente. Todas utopias passadas, a começar da República de Platão, partem de um projeto de cima para baixo, imposto aos cidadãos. Já na República estão as razões de Estado, as mentiras de Estado e a coerção, como forma de implantar o Estado perfeito. Eu já penso como Marx e os anarquistas: o Estado deve se extinguir e ficar em seu lugar uma administração das coisas e dos recursos. Nessa sociedade futura, deve valer aquele outro valor: todo mundo tem o direito de procurar a felicidade e a autorealização. Um dia, ficaremos livres dos ismos.

      Excluir
    3. Pensamento dos Anonymous!!! Concordo também.

      Excluir

Sua visita foi muito importante. Faça um comentário que terei prazaer em responde-lo!

Abração

Dag Vulpi

Explicando as Pedaladas Fiscais - Atualize a página para voltar para o inicio do texto

Sobre o Blog

Este é um blog de ideias e notícias. Mas também de literatura, música, humor, boas histórias, bons personagens, boa comida e alguma memória. Este e um canal democrático e apartidário. Não se fundamenta em viés políticos, sejam direcionados para a Esquerda, Centro ou Direita.

Os conteúdos dos textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores, e nem sempre traduzem com fidelidade a forma como o autor do blog interpreta aquele tema.

Dag Vulpi

Paulo Freire

Paulo Freire
Para analisar

BLOG MIN

BLOG MIN
Porque todos temos uma opinião, seja construtiva, destrutiva, cientifica, acéfala, perversa, parva, demolidora ou simplesmente uma opinião...

Mensagem do Autor

Ocorreu um erro neste gadget

Seguir No Facebook