quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

A evolução do povo brasileiro: de analfabeto político para semi politizado



Por Dag Vulpi editado em 21/03/2017

O desenvolvimento da visão crítica é fundamental para a incorporação de valores democráticos e para a participação política significativa. Não é nenhum mistério que o nível de desigualdade e de problemas de um país está associado ao nível de educação e cultura de seu povo. 

Na avaliação de Adorno (1995), a organização social ao qual vivemos continua sendo heterônoma, uma vez que ninguém mais pode existir na sociedade atual conforme suas próprias determinações. Por esta razão, ele pensa que somente a educação pode emancipar os sujeitos. Mas, para isso, é imprescindível uma educação política, que desenvolva nos sujeitos a consciência de que os homens são enganados de modo permanente. Ele acredita que se todos ganhassem consciência em relação a essas questões, isso poderia resultar em uma critica imanente da sociedade.

Graças ao advento da internet e do aumento nos índices de escolaridade do seu povo, o Brasil começa a dar provas de que parte de seus cidadãos está evoluindo da condição de analfabetos políticos para cidadãos com uma conscientização política mínima, ou, como alguns preferem, tornaram-se semipolitizados. E essa evolução é a responsável por um passo gigante no caminho da conquista de valores antes desconhecidos.

Parte fundamental do exercício da cidadania refere-se à Consciência Política. Esta deve ser moldada no indivíduo desde sua infância, propiciando uma boa formação de caráter no seio familiar e que será desenvolvida ao longo da vida para ser multiplicada com a sociedade. Ou seja, educação e cidadania são interdependentes e a Consciência Política é fruto dessa relação.” (Antonio Gasparetto Junior).

Apesar de o sistema educacional brasileiro ser deficiente e causar prejuízos de longa duração, pois afetam várias gerações, ainda assim, parte dos cidadãos esta conseguindo retirar o tampão que durante muitos anos vendou seus olhos, despertando seu envolvimento cognitivo e afetivo, fazendo-o sentir que o conhecimento propicia-lhe a consciência para enxergar, entender e modificar as realidades de seu meio e não mais aceitar o fato de ser usado como massa de manobra.

Infelizmente, nem todo cidadão pode desfrutar dessa educação, ainda que inadequada, e esse fator faz com que a maioria permaneça ao largo da evolução, tendo seu discernimento rapinado, tornando-o uma presa fácil de ser induzida a lutar por interesses alheios às suas verdadeiras necessidades.

Considerando a escolaridade deficitária e o acesso à internet limitado a alguns como principais balizadores na formação da politização da nossa sociedade, é inegável que estamos engatinhando se comparados a alguns países da Europa e Ásia. Ainda assim, apesar das escassas condições houve evolução e a tendência é a de que deverá haver um incremento nessa conscientização nas próximas décadas, já que, tanto a internet, como o acesso e a qualidade da educação, tende a serem facilitados e melhorados, permitindo dessa forma que, em médio prazo, boa parte dos cidadãos brasileiros possua uma conscientização politica suficiente para capacita-los a lutar pela conquista de uma sociedade de fato mais justa.

Por outro lado, se a expectativa para o futuro é positiva, a realidade atual mostra uma subdivisão neste grupo de cidadãos semipolitizados. Há aquele que entende que sua participação no processo democrático é fundamental para as mudanças necessárias e não admite ser manipulado, como também, infelizmente ainda existe aquele que se deixa influenciar, principalmente por parte de uma mídia que ao longo do tempo conseguiu manipula-lo de forma sistemática, aproveitando-se da sua educação deficitária e da consequente interpretação equivocada da realidade politica, para manobra-lo de acordo com os interesses de uma minoria. Não somente, mas principalmente por isso é que a maioria dos maus políticos ainda conseguem seus mandatos.  

Após opinar que a Consciência Política é um exercício da cidadania e que ela deve ser moldada no indivíduo desde sua infância, de forma a propiciar-lhe uma boa formação de caráter, e que o ideal seria que ela fosse desenvolvida ao longo da vida para ser multiplicada com a sociedade. Ou seja, educação e cidadania são interdependentes e a Consciência Política é fruto dessa relação. Mas que, o sistema educacional brasileiro é deficiente e causa prejuízos de longa duração, pois afeta várias gerações, opinarei também nas consequências que essa deficiência causa na pratica do nosso dia a dia.

Diante de tantas demonstrações de inconformismo por uma parcela da sociedade em relação à política praticada pelo governo de esquerda nos últimos treze anos, inconformismo esse que ás vezes mistura-se e confundem-se com alienações, alienações essas que claramente formaram-se através de informações elaboradas com maestria e que se repetem dia após dia de forma a deturpar a integralidade da realidade, resolvi me afastar por um tempo das redes sociais e passei a observar o comportamento da sociedade fora da "segurança" que o anonimato das redes sociais os proporciona.

Foi quase três meses de experiência, outubro a dezembro de 2016, onde tive a oportunidade de conversar com antigos moradores e velhos amigos do bairro. Na maioria dos casos e por razões diversas, o destino furtou-nos a oportunidade do diálogo, oportunidade essa que felizmente eu consegui recuperar neste período.

Apesar de o assunto proposto não ser bem aceito por todos, ou seja, falar sobre política, ainda assim, foi possível entender o que pensam e como a grande maioria forma suas opiniões.

Constatei uma quase unanimidade entre os cidadãos com idade superior a 35 anos e com menor nível de escolaridade.  Quase todos eles formam suas opiniões sobre política com base nas manchetes exibidas nos telejornais das tevês abertas. Eles afirmam confiar nas informações passadas pelos telejornais. No entendimento deles as emissoras não "teriam" motivos para mentir.

Além de confiarem cegamente nas informações repassadas nos telejornais, outro detalhe igualmente importante, e que preocupa, é a cognição desses cidadãos. Exemplifico com a seguinte notícia: "Lili foi acusada pelo MPF de ter desviado 30 milhões do dinheiro público", ao ouvirem essa noticia da tal fonte “confiável”, automaticamente eles irão processar a informação de que Lili é ladra. Ou seja, o simples fato de haver uma DENÚNCIA contra alguém, já é suficiente para que eles julguem aquela pessoa como sendo culpada.

Imaginemos então qual será o juízo formado por esse cidadão que, apesar de ser honesto, possui uma formação deficitária, e é bombardeado diuturnamente por essa fonte que ele considera confiável, afirmando em suas reportagens diárias que a tal “Lili” está sendo acusada de dezenas de novos desvios de dinheiro público? Certamente que o sentimento de ódio formado contra Lili tomará proporções tamanhas que, mesmo que futuramente ela venha ser INVESTIGADA, JULGADA e por falta de provas INOCENTADA por aquele mesmo MP, ainda assim, aquele cidadão terá a convicção de que a justiça foi comprada.


Há solução? Sim! A evolução para uma real Conscientização Política virá com a melhoria da qualidade do ensino, principalmente o ensino publico, que é o responsável pela formação de 90% dos cidadãos brasileiros. 

11 comentários:

  1. A internet é uma benção! De que outra maneira poderíamos conhecer, mesmo que virtualmente, e debater questões importantes para o Brasil não fosse essa autêntica e legítima criação das mentes capitalistas?

    ResponderExcluir
  2. Por isso vai ver essa fraude de regime chamado de partidário chamou as empresas de telefonia e tornou o ilimitado limitado .,.,

    A revolta contra essa fraude de regime começou por aqui .,.consciência política. O dia que o povo Brasileiro tiver isso não comparece mais as urnas para escolher não para mudar mas sim por qual partido quer ser roubado e lesado a democracia é muito mais do que isso e está sendo escondido do povo Brasileiro .,.,

    Democracia a verdadeira é falar se expressar e o principal opinar e participar na gestão do seu país afinal quem trabalha 4 meses do ano para sustentar essa fraude é o povo pagando de impostos nada mais justo que ele ter o poder de saber onde está sendo investido o dinheiro .,...

    Nosso erro foi por não saber o que seria uma democracia entregamos total poder a partidos onde o povo hoje não tem voz alguma .,.,

    Hoje o povo é conduzido como gado as urnas somente para apertar um botão e escolher por quem eles querem serem roubados e não por mudanças

    ResponderExcluir
  3. Pena que a nossa Justiça ainda está muito ultrapassada...da mesma forma que prende o Corrupto ,permite que ele volte a cena do crime...por ex: Collor...

    ResponderExcluir
  4. O que muita gente não sabe é que a Justiça cumpre o que os legisladores aprovaram. Quem elabora as Leis são os vereadores, deputados estaduais e federais, e os senadores. A Justiça está limitada ao que está escrito, ao que foi votado pelos políticos.. Existem muitas brechas na nossa legislação que é aproveitada de maneira cabulosa por políticos corruptos.

    ResponderExcluir
  5. Eu também acho que estamos vivendo uma pequena evolução com essa maior seriedade do brasileiro em relação ao voto (vejo muitos jovens começando a se posicionar), mas o sistema judiciário precisa ser mais ágil para impedir que notórios políticos bandidos continuem empossados por longos períodos até o transitado em julgado.

    ResponderExcluir
  6. Dagmar....creio que na civilidade, a discussão de extremos é que leva ao ponto de equilíbrio....afinal, a vontade da maioria real é o que se busca.....e o povo brasileiro acordou quanto as facilidades prometidas e a realidade de pobreza nacional.....o povo descobre a duras penas que é necessário trabalhar.....e participar do processo....sempre.....mas ainda existem os que não aceitam os discursos de extremos para auferir o desenvolvimento e ainda acreditam serem donos das vontades das massas....o populismo começa a construir sua ruína....talvez, talvez dessa vez o brasil consiga subir um degrau....a esperança reacende e o preço a ser pago deverá ser pago.....quem trabalha sabe o preço.....só espero que o custo seja remunerado a altura do investimento.....

    ResponderExcluir
  7. O que atrapalha a politização do povo é a falta de credibilidade da informação. Uma mídia ruim e comprometida pelos interesses do poder econômico só produz um debate ilusório sobre as questões nacionais, pautando pelos interesses dos grupos controladores e não da população. A "opinião publicada", querendo impor-se como opinião pública, é o maior empecilho para a politização da população e para a verdadeira cidadania.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Santana, mas o que citou Dagmar também é fato, a internet hoje é a principal ferramenta, um instrumento "tira-tampão" diria eu...Realmente as gerações passadas ficavam mesmo á merce da mídia, mas hoje, só não enxerga quem não quer mesmo, são os ditos "piores cegos"!!!

      Excluir
  8. Pena que todo esse avanço do eleitor não se manifesta na hora de votar,talvez porque a próxima etapa para melhorar a politica brasileira seja nos livrar dos políticos canalhas,mentirosos que enganam o povo com falsas promessas!!!

    ResponderExcluir
  9. O que o povo sabe hoje ou o que que tem de politização, é o mesmo de antes, só que hoje tem internet e ele pode falar a vontade para inúmeras pessoas o que pensa. Nada a ver com escolaridade ou quetal pois foi medíocre nos uktimos anos, É só isso, sem mágica, só internet

    ResponderExcluir
  10. O povo brasileiro, sem dúvida, está mais amadurecido politicamente. Lembro que na primeira eleição após a ditadura, foi aquela festa! Todos indo votar com vontade e discutindo nas ruas. Pelo menos aqui, onde moro era assim. Hoje as pessoas vão às zonas eleitorais meio sérios sem aquela vontade, como que para cumprir uma obrigação, por que o voto não é facultativo. E lutamos muito pra ter o direito de votar! Agora há um certo desânimo e indignação. Faz parte.

    ResponderExcluir

Sua visita foi muito importante. Faça um comentário que terei prazaer em responde-lo!

Abração

Dag Vulpi

Sobre o Blog

Este é um blog de ideias e notícias. Mas também de literatura, música, humor, boas histórias, bons personagens, boa comida e alguma memória. Este e um canal democrático e apartidário. Não se fundamenta em viés políticos, sejam direcionados para a Esquerda, Centro ou Direita.

Os conteúdos dos textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores, e nem sempre traduzem com fidelidade a forma como o autor do blog interpreta aquele tema.

Dag Vulpi

Seguir No Facebook