segunda-feira, 28 de março de 2016

Artistas protestam no Rio contra impeachment e retrocesso na cultura



Artistas de diversas áreas protestaram na noite desta segunda-feira (28), no centro do Rio, com críticas à tentativa de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff, no que chamaram de golpe político contra a democracia. O grupo se concentrou entre o Teatro João Caetano e o Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ifics-UFRJ), tradicional palco de manifestações políticas na cidade. Em seguida, os manifestantes se dirigiram aos arcos da Lapa.

“Acho que isso tudo está repetindo [o golpe militar de] 1964. É apavorante, porque, naquela época, ficamos sem voz durante toda a ditadura militar. Hoje é um golpe jurídico e midiático. Será um total retrocesso. Por isso, estou na rua. Não vai ter golpe. Vamos lutar de todas as maneiras possíveis para que isso não aconteça, pois será uma tragédia”, disse a atriz e dramaturga Tereza Briggs.

Segundo ela, nos governos de Lula e Dilma houve avanços na área, com destaque para a criação dos pontos de cultura, incluindo as periferias e as camadas mais pobres da população nas produções culturais.

Golpe sutil
“O que está acontecendo no Brasil é uma tentativa de retrocesso lamentável. Obviamente nenhum governo é perfeito, mas nós conquistamos duramente a democracia e precisamos lutar para que ela continue. O impeachment é um dispositivo previsto na Constituição, mas esse que eles estão pregando não tem base legal. É um golpe sutil, com aparência de legalidade. Poderá haver retrocesso na cultura, nos costumes e nos direitos dos cidadãos”, advertiu a atriz e tradutora Angela Leite Lopes, professora da UFRJ.

“Estamos aqui dizendo não ao golpe, dizendo não ao impeachment. É um absurdo o que está ocorrendo neste país. Nos anos dos governos Lula e Dilma melhorou muito para nós. Fomos mais olhados, tivemos mais diálogo e muito mais possibilidades de atuar em todos os segmentos, incluindo a arte pública. Precisamos avançar muito mais, mas é um absurdo falar em golpe e impeachment. Se houver um golpe, a gente vai retroceder na cultura popular”, acrescentou Ligia Veiga, da Companhia Brasileira de Mistérios e Novidades.

“Golpe é um retrocesso de qualquer forma, para a cultura e para a sociedade. Nunca imaginei que a gente fosse viver isso de novo. É algo muito triste o que estamos passando. Eu vivi muito fortemente o golpe de 1964 e isto tudo que estamos vivendo parece um grande pesadelo”, disse a diretora e coreógrafa de dança Denize Stutz, que tem projetos de inserção cultural em diversas comunidades cariocas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita e participação no blog!

Dag Vulpi

Explicando as Pedaladas Fiscais - Atualize a página para voltar para o inicio do texto

Sobre o Blog

Este é um blog de ideias e notícias. Mas também de literatura, música, humor, boas histórias, bons personagens, boa comida e alguma memória. Este e um canal democrático e apartidário. Não se fundamenta em viés políticos, sejam direcionados para a Esquerda, Centro ou Direita.

Os conteúdos dos textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores, e nem sempre traduzem com fidelidade a forma como o autor do blog interpreta aquele tema.

Dag Vulpi

Paulo Freire

Paulo Freire
Para analisar

BLOG MIN

BLOG MIN
Porque todos temos uma opinião, seja construtiva, destrutiva, cientifica, acéfala, perversa, parva, demolidora ou simplesmente uma opinião...

Mensagem do Autor

Ocorreu um erro neste gadget

Seguir No Facebook