SE GOSTOU SIGA O BLOG

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Em depoimento à Justiça, Pizzolato reclama de “tratamento desumano”

Em depoimento hoje (2) à Justiça Federal, em Brasília, o ex-diretor do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, reclamou do tratamento que os presos recebem no Brasil. Segundo ele, tem sido submetido a um “tratamento desumano”. Com mais detalhes, citou o transporte que o levou da prisão até o prédio da Justiça Federal.

“Esse sistema de transporte para os prisioneiros, além de desumano, só pretende humilhar as pessoas e torturá-las. Não há condição de uma pessoa de 64 anos se manter dentro de uma viatura com as mãos algemadas para trás, sem nenhum banco de apoio, dando cabeçada nas paredes e passando mal”, disse Pizzolato.
Ele chegou ao prédio da Justiça Federal às 15h20 e entrou de cabeça baixa, semblante abatido e com as mãos para trás, algemadas. O ex-diretor do Banco do Brasil estava cercado por um grupo de policiais responsáveis por sua escolta. No depoimento, ele afirmou que saiu do Brasil para “salvar a vida”. “[...] a defesa da vida é a coisa mais digna. Para salvar minha vida, usei de todos meios possíveis. Isso o Brasil reconheceu na corte italiana”.

O ex-diretor foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 12 anos e sete meses de prisão. Pizzolato foi condenado por lavagem de dinheiro e peculato, mas, por ter dupla cidadania, fugiu para a Itália em setembro de 2013, antes do fim do julgamento. Ele foi preso em fevereiro do ano passado em Maranello, na Itália.

Em outubro do ano passado, a Corte Europeia de Direitos Humanos rejeitou a última tentativa de recurso de Pizzolato contra sua extradição para o Brasil. No recurso protocolado na corte, a defesa de Pizzolato, como nas demais ações contra a extradição, voltou a alegar que os direitos humanos não são respeitados nos presídios brasileiros. O argumento foi usado pela defesa para pedir que o ex-diretor do Banco do Brasil continuasse na Itália.

Em 2014, Pizzolato foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) em Santa Catarina pelo crime de falsidade ideológica – produção de documentos com informações falsas. Como sua extradição ocorreu exclusivamente para cumprimento da pena prevista na Ação Penal 470, o processo do mensalão, ele só pode responder à denúncia do MPF se a Justiça italiana autorizar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua visita foi muito importante. Faça um comentário que terei prazaer em responde-lo!

Abração

Dag Vulpi

Sobre o Blog

Este é um blog de ideias e notícias. Mas também de literatura, música, humor, boas histórias, bons personagens, boa comida e alguma memória. Este e um canal democrático e apartidário. Não se fundamenta em viés políticos, sejam direcionados para a Esquerda, Centro ou Direita.

Os conteúdos dos textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores, e nem sempre traduzem com fidelidade a forma como o autor do blog interpreta aquele tema.

Dag Vulpi

Seja Bem-Vindo

Paulo Freire

Paulo Freire
Para analisar

BLOG MIN

BLOG MIN
Porque todos temos uma opinião, seja construtiva, destrutiva, cientifica, acéfala, perversa, parva, demolidora ou simplesmente uma opinião...

Mensagem do Autor

Ocorreu um erro neste gadget

Seguir No Facebook