SE GOSTOU SIGA O BLOG

segunda-feira, 22 de julho de 2013

É hora de investigar. Ou não ?

Por Rodolpho Motta Lima nos site Direto da Redação
No Brasil de hoje, chega a ser escandaloso esse monopólio da grande mídia, propriedade de poucas dezenas de famílias que conduzem a notícia e  manipulam os fatos de acordo com sua conveniência, que  se confunde com interesses econômicos de outros grandes grupos empresariais. 

Quando se fala em regulação dos  nossos meios de informação, a  mídia tupiniquim se enche de brios libertários, acena com o terrível espectro da censura e passa por cima do que efetivamente se deseja discutir: a ausência de um contraponto que possibilite a boa informação, aquela que não se pauta apenas pelos assuntos que convêm a um propósito político de poder, mas que procura também, com isenção, o contraditório.


Felizmente, e já há algum tempo, esse  jornalismo “tradicional” não fala sozinho. A existência da internet,  com suas características democráticas, começa a impor um outro padrão de jornalismo sem patrões que permite , através de um sem número de blogs, o levantamento de temas e de notícias que passam permanentemente em branco na grande imprensa.

Agora, por exemplo, multiplicam-se por aí notícias que envolvem operações suspeitas ou comportamentos condenáveis de personagens do meio político e/ou jurídico tidos como mocinhos nesse bang-bang em que se transformou a política brasileira. Quem tiver curiosidade, basta acionar os sites de busca.  Irá encontrar, por exemplo, detalhes de  supostas fraudes fiscais de organizações midiáticas que se esmeram no “combate à corrupção”...

Na área da justiça, poderá verificar as suspeitas sobre irregularidades em  licitações e contratos firmados ou denúncias de viagens particulares à custa do dinheiro público por parte  de autoridades tidas como respeitáveis.  Dando o benefício da dúvida e admitindo, só para argumentar, que não se deva confiar em todas as matérias – embora algumas delas estejam fartamente documentadas -, o fato é que se trata de ocorrências  que, no mínimo, deveriam ser apuradas e/ou respondidas quanto à sua veracidade, em nome do decoro e do interesse público. E o “jornalismo investigativo” da grande imprensa poderia dar a sua contribuição. Acho mesmo que isso poderá acontecer... no dia em que o sargento Garcia prender o Zorro...   

Menciono aqui  esse jornalismo independente, porque ele  começa a incomodar a turma de cima, essa mesma  que pretende ter também o monopólio das virtudes e que trata posturas fraudulentas  como algo restrito aos seus inimigos.  É óbvio que existe hoje no país uma escalada que pretende a desestabilização total do Governo, através de um metralhar constante de “notícias” alarmantes e pessimistas que, sem qualquer cuidado quanto aos males que isso produzirá para o Brasil e para todos os seus cidadãos, apenas enxergam no caos a possibilidade de voltar a ocupar o poder político no país. É a turma do  quanto pior melhor.

O caso da inflação é emblemático. Depois do escarcéu que teve o tomate como protagonista, a  possibilidade de uma inflação crescente, cantada e desejada pelo pessoal do Restelo, é hoje descartada.

O mais lamentável, para mim, é que jornalistas assalariados se prestem à desinformação em nome da manutenção de um emprego e que troquem o que deveria ser uma devoção profissional pelo efêmero prazer do brilho dos holofotes e do prestígio pessoal.

A forma como se está querendo bombardear as propostas da Presidenta Dilma – formuladas a partir do reconhecimento do clamor das ruas  -, se não fosse trágica, seria ridícula, tais os contrassensos que revela. Tenta-se, por exemplo,  desqualificar o plebiscito com argumentos os mais disparatados, que sequer disfarçam o verdadeiro intuito de evitar que o povo fale diretamente. Em franca contradição com a tese de que “o gigante acordou”, acusam a proposta de  ser tentativa “bolivariana” de fazer política, ou de encobrir filosofia comunista etc etc ...

É bem nítida a satisfação com que essa turma anuncia “derrotas” do Governo quando o Congresso, esse Congresso sabidamente clientelista e chantagista, encosta a Presidenta na parede. A ânsia do chamado PIG parece desconhecer  que é toda  a classe política que está em discussão nesse pais e o poder legislativo, em especial, justamente em função de seus posicionamentos corporativos e fisiológicos. 

Essa turma de inconformados ainda não percebeu que, qualquer que venha a ser o cenário eleitoral em 2014, o povo não escolherá o retrocesso, a perda das  conquistas que levaram milhões a sair da pobreza. Não serão aceitas pela maioria ações que interrompam o processo de redução das desigualdades e que retornem pura e simplesmente ao neoliberalismo do Estado mínimo.  Acho que é por isso que paira no ar, diuturnamente, em certas redações, um ar conspiratório e golpista de gente que, a qualquer custo, mesmo com a quebra dos limites democráticos, quer recuperar o espaço perdido para o povo. 

Se querem – e  como querem ! – derrubar Dilma Roussef, que a tentativa se faça no campo da democracia,  no voto, caso o tenham... E os que se regozijam, hoje, com as pesquisas de opinião – que refletem um corte de momento em nossa realidade política – esquecem que a fila anda... Daqui até 2014, mesmo sob a esperada omissão da mídia hegemônica, tudo indica que outras investigações tenderão a aparecer, e quem sabe também frequentarão os cartazes das ruas, respingando em muitos dos atuais paladinos da moralidade...

Ah! Já ia me esquecendo de mencionar a “Privataria Tucana” e o mensalão mineiro. Seria uma falha indesculpável. São outros temas que têm que ser retirados do silêncio dos coniventes para passar pelo crivo crítico da sociedade. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua visita foi muito importante. Faça um comentário que terei prazaer em responde-lo!

Abração

Dag Vulpi

Sobre o Blog

Este é um blog de ideias e notícias. Mas também de literatura, música, humor, boas histórias, bons personagens, boa comida e alguma memória. Este e um canal democrático e apartidário. Não se fundamenta em viés políticos, sejam direcionados para a Esquerda, Centro ou Direita.

Os conteúdos dos textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores, e nem sempre traduzem com fidelidade a forma como o autor do blog interpreta aquele tema.

Dag Vulpi

Seja Bem-Vindo

Paulo Freire

Paulo Freire
Para analisar

BLOG MIN

BLOG MIN
Porque todos temos uma opinião, seja construtiva, destrutiva, cientifica, acéfala, perversa, parva, demolidora ou simplesmente uma opinião...

Mensagem do Autor

Ocorreu um erro neste gadget

Seguir No Facebook